quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Atraso na aprovação de licenças adia obras da ferrovia Norte-Sul


     Click para ampliar

Anteriormente previstas para acontecerem neste m√™s de novembro, a aprova√ß√£o das licen√ßas pr√©vias para o in√≠cio das obras de prolongamento das ferrovias Norte-Sul, entre An√°polis e Estrela do Oeste, e da Ferrovia da Integra√ß√£o Bahia-Oeste, na Bahia, s√≥ deve sair no in√≠cio de 2010. “A expectativa √© de que essas licen√ßas sejam aprovadas at√© fevereiro e, sendo assim, faremos imediatamente a execu√ß√£o da obra dessas duas ferrovias”, declarou Paulo Passos, secret√°rio executivo do Minist√©rio dos Transportes.
Inclu√≠da entre as prioridades do Programa de Acelera√ß√£o do Crescimento (PAC), a Ferrovia da Integra√ß√£o Bahia-Oeste (tamb√©m conhecida como Ferrovia 334) ligar√° os munic√≠pios de Ilh√©us a Barreiras, no oeste da Bahia, al√©m de ser o ponto de liga√ß√£o com a Norte-Sul em Tocantins, percorrendo 1,5 mil quil√īmetros. O investimento previsto para a constru√ß√£o da ferrovia est√° estimado em R$ 6 bilh√Ķes at√© 2012. A estatal Valec √© a respons√°vel pela opera√ß√£o.
De acordo com informa√ß√Ķes da Valec, a inten√ß√£o √© formar um corredor de transporte que otimize a opera√ß√£o do Porto de Ponta da Tulha e ofere√ßa uma alternativa de log√≠stica para portos no norte do Pa√≠s atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Caraj√°s.
O governo tamb√©m deve divulgar no in√≠cio do ano estudos que definir√£o novos investimentos na ferrovia Transnordestina. “Estes investimentos significar√£o oferecer linhas ferrovi√°rias capazes de deslocar grandes fluxos, grandes massas, grandes tonelagens de insumos e produtos, seja para atender internamente as necessidades do Pa√≠s, seja para transportar aos principais portos, para exporta√ß√£o”, comentou. Uma das √ļltimas concess√Ķes no setor foi vencida pela Vale, para explora√ß√£o do trecho A√ßail√Ęndia e Palmas, da Norte-Sul. O aporte foi de R$ 1,4 bilh√£o.
Segundo o secret√°rio, existem dois estudos em andamento, feitos por universidades federais de Santa Catarina e Juiz de Fora, para avaliar a viabilidade de linhas ferrovi√°rias entre Londrina e Maring√° (PR) e Caxias do Sul e Bento Gon√ßalves (RS), de transporte regional de passageiros e turismo. Cada estudo ir√° custar R$ 500 mil. “Comprovada a viabilidade dos estudos, os projetos poder√£o ser operados pela iniciativa privada, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento e Econ√īmico e Social.”


Fonte:
DCI
3/11/2009


0 coment√°rios:

Postar um coment√°rio